Connect with us

OFFROAD

Land Rover lança nova geração do Defender no Brasil a partir de R$ 400 mil

Modelo é conhecido com um dos veículos com melhor aptidão off-road do mundo. Serão três versões, todas com motor 2.0 turbo de 300 cv a gasolina.

Published

on

A Land Rover lançou nesta sexta-feira (10) a quinta geração do Defender no Brasil em 3 versões. Veja os preços:

S – R$ 400.750
SE – R$ 426.750
HSE – R$ 461.150

Todas as versões trazem motor 2.0 turbo de 300 cavalos e 40,8 kgfm e câmbio automático de 8 marchas. O Defender acelera de 0 a 100 km/h em 8,1 segundos, e pode alcançar a velocidade máxima de 191 km/h.

Por enquanto, apenas a carroceria longa, 110, será oferecida no Brasil. Ela tem quatro portas, 5,02 metros de comprimento, 3,02 m de entre-eixos, 2 m de entre-eixos e 1,97 m de altura.

Veja os itens de série por versão:

S – retrovisores eletrocrômicos, faróis e lanternas de LED, rack de teto, ar-condicionado digital de duas zonas, partida por botão, bancos de couro e com ajustes elétricos, suspensão a ar, controle de velocidade de cruzeiro, assistente de manutenção de faixa, rodas de 19 polegadas, central multimídia com tela de 10 polegadas, quadro de instrumentos digital, capô “transparente”, frenagem automática de emergência e câmeras 360;
SE – mesmos itens da S, mais volante com regulagens elétricas, rodas de 20 polegadas, acesso e partida por chave presencial, som de alta qualidade, volante revestido em couro, sensor de ponto cego e monitor de tráfego traseiro;
HSE – mesmos itens da SE, mais teto solar panorâmico, sensor de chuva, bancos dianteiros climatizados e com memória, monitor de colisão traseiro e carregador por indução.
Além dos itens de série, o Defender terá uma linha com 170 acessórios originais de fábrica.

O novo Defender, depois de anos de expectativa, foi apresentado em setembro passado, no Salão de Frankfurt. A versão original, foi lançada em 1948, e, ao longo dos anos, teve outras 4 gerações.

O modelo é conhecido por ser um dos veículos com melhor aptidão off-road de todo o mundo. No Brasil, ele chegou a ser produzido entre 1998 e 2005. A quarta geração deixou de ser produzida em 2016.

Ícone moderno

De acordo com a Land Rover, a nova carroceria monocoque de alumínio é três vezes mais rígida do que os modelos tradicionais.

Outra novidade na construção é a suspensão a ar disponível em algumas versões, que acompanha o sistema Adaptive Dynamics, que monitora os movimentos do veículo 500 vezes por segundo. Com isso, a reação às condições de piso é quase que instantânea.

Para o off-road, o sistema Terrain Response permite que motoristas mais experientes configurem os parâmetros do veículo como quiserem. Por outro lado, os inexperientes podem apenas acionar o sistema e deixar que a eletrônica faça como achar melhor.

A carroceria tem 291 mm de distância do solo (20 mm a mais do que os outros modelos da Land Rover). Na versão 110, o modelo tem ângulo de aproximação de 38 graus, de partida de 28 e de saída de 40 graus.

A capacidade de transposição é de 90 cm, enquanto a carga útil máxima é de 900 kg e a capacidade de reboque chega a 3.720 kg.

Tecnológico

O Defender ganhou capacidades lameiras, mas também tecnologia. Entre elas está o sistema de atualização de software automática, que faz download de novos dados de forma remota, deixando o veículo sempre atualizado sem a necessidade de uma visita à uma concessionária.

Há também o “capô transparente”. Câmeras instaladas na parte de baixo do veículo revelam, na tela central de 12,3 polegadas, a visão escondida pelo capô. Também há o mesmo efeito para a traseira.

Piloto automático adaptativo, assistente de pontos cegos, monitoramento de tráfego cruzado traseiro, head-up display e faróis full LED também estão na lista. Até uma proteção para a pintura está disponível para minimizar danos como arranhões.

G1

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OFFROAD

Jeep Wrangler híbrido plug-in já está em pré-venda no mercado Europeu

Wrangler híbrido, batizado de 4xe, entrega 385 cv de potência combinada unindo um motor 2.0 turbo a gasolina e dois motores elétricos

Published

on

A Jeep anuncia o lançamento o Wrangler 4xe, modelo híbrido plug-in a ser oferecido incialmente na versão First Edition. Ele já está disponível para reserva em alguns mercados europeus, como Itália, Espanha, Alemanha, França, Holanda, Suíça, Bélgica e Áustria, chegando às concessionárias até o final deste ano.

O modelo se une à linha 4xe, que já conta com Renegade e Compass, integrando os planos da marca de ampliar seu portfólio de veículos eletrificados, anunciado no ano passado. O objetivo é adicionar ao menos uma versão elétrica ou híbrida em cada modelo da gama ao longo dos próximos anos.

Com a chegada do Wrangler plug-in, o SUV une as suas aptidões para o fora de estrada com o uso no dia a dia, empregando o modo 100% elétrico. O conjunto mecânico é composto por dois motores elétricos e outro 2.0 turbo a gasolina, entregando 385 cv de potência combinada. A transmissão é automática de oito marchas. Segundo a Jeep, sua autonomia no modo totalmente elétrico é de 50 quilômetros e o modelo acompanha um carregador Wallbox para facilitar a recarga da bateria.

Há três modos de condução: Hybrid, Full Electric e E-save. A versão First Edition virá de série com rodas aro 18″, faróis full-LED, capa para o estepe, multimídia Uconnect com tela de 8,4″, quadro de instrumentos digital com tela de 7″, controle de cruzeiro adaptativo, alerta de colisão, alerta de ponto cego e de tráfego cruzado, câmera de ré, sensor de estacionamento dianteiro e traseiro, sistema Keyless e retrovisores elétricos.

Essa configuração virá ainda com itens opcionais, como um organizador para cargas no porta-malas, três anos a mais de garantia (totalizando cinco anos) e um serviço de fidelização do cliente chamado Jeep Wave, com benefícios como duas primeiras revisões grátis e assistência 24h.

Revista Carro

Continue Reading

OFFROAD

Troller tem futuro incerto no Brasil, e procura um comprador, entenda

Encerramento da produção da Ford no Brasil põe em xeque a sobrevivência da Troller; marca vendeu 1.301 unidades do T4 em 2020

Published

on

Procura-se um novo dono para a Troller. Junto com a decisão da Ford em fechar as fábricas de Taubaté (SP) e Camaçari (BA), o comunicado divulgado na última segunda (11) também informa que a planta da Troller em Horizonte (CE) — a única que produz o T4 — terá a produção finalizada até o último trimestre de 2021. Desde então, surgiram muitas dúvidas em relação ao futuro da marca brasileira.

Ao contrário das demais fábricas da Ford, que tiveram a produção encerrada imediatamente, a unidade cearense — que conta com cerca de 470 funcionários e produz em torno de 150 carros por mês — seguirá funcionando até o fim do ano. No entanto, o comunicado não dá mais detalhes a respeito do que acontecerá com a Troller depois desse período, o que gerou diversas especulações entre os fãs da marca.

Um dos rumores seria de que a decisão da Ford em manter a produção da Troller até o quarto trimestre de 2021 seria justamente para encontrar um novo comprador para a marca brasileira. Essa alternativa iria de encontro com o anúncio da própria montadora, no qual a Ford afirma que “continuará facilitando alternativas possíveis e razoáveis para partes interessadas adquirirem as instalações produtivas disponíveis”.

Dentre as possibilidades para o futuro da Troller, a única viável parece ser a aquisição da marca cearense por outra empresa. Com uma rede de 23 concessionárias e um portfólio que se resume ao jipe T4 — vendido nas versões XLT e TX4, sempre com câmbio automático — a Troller não é uma marca de grande volume, atuando apenas no nicho de carros fora-de-estrada. A marca vendeu apenas 1.301 unidades em 2020, segundo a Fenabrave.

Além disso, outro ponto que complica a aquisição da Troller é em relação aos componentes utilizados na fabricação do T4. Lançada em 2015, a atual geração do modelo compartilha a plataforma, motor e várias peças com a picape Ranger, produzida pela Ford na Argentina.

Com a compra da Troller, os novos donos teriam que negociar o fornecimento dessas peças com a Ford, arcando com os custos de importação, o que poderia inviabilizar a produção do SUV, que atualmente é vendido a partir de R$ 173.200. Outra opção para os possíveis novos compradores seria investir em um substituto para o atual T4, utilizando componentes de outras empresas.

Isso não seria uma novidade para a Troller, que chegou a utilizar componentes de Jeep, MWM e Volkswagen antes de ser adquirida pela Ford, em 2007. Esse fator, inclusive, foi o que tornou a manutenção da primeira geração do T4 relativamente simples e barata.

Um eventual novo dono da marca também poderia aproveitar a recente febre dos veículos fora-de-estrada para desenvolver mais o portfólio da Troller, hoje restrito a um só carro. Possíveis versões de duas e quatro portas, além de uma eventual picape — como a finada Pantanal — poderiam ampliar a presença e a produção da marca, que já vendeu cerca de 20 mil unidades desde a sua criação em 1995.

Ao longo de 2021, deveremos ter maior clareza quanto ao futuro da Troller. Enquanto isso, ao que tudo indica, a única chance de sobrevivência da marca é através de um novo comprador. Com a torcida de uma legião de fãs e funcionários, será possível manter o sonho da Troller vivo? Isso só o tempo dirá.

Guia Carro

Continue Reading

OFFROAD

Ford Bronco já está no Brasil e Jeep Compass que se cuide

Ford já emplacou 28 unidades do Bronco Sport na Bahia, e registros confirmam o novo SUV 4×4 da marca com motor 2.0 turbo

Published

on

O Ford Bronco, novo SUV 4×4 da marca norte-americana, já está em solo brasileiro. A novidade foi confirmada pelo perfil @bfmsoficial no Instagram. A página publicou informações sobre o emplacamento dos modelos na Bahia com ajuda de outro perfil, o @placadoscarros.

Ao todo, há 28 unidades do Bronco emplacadas em Camaçari, onde fica a principal fábrica da montadora no país. Assim, o registro também confirma outros detalhes. Dentre eles, o conjunto mecânico formado pelo motor 2.0 turbo e o câmbio automático de oito marchas.

Jipe raiz
Da mesma forma, os emplacamentos na Bahia revelam as versões que o Bronco Sport terá no Brasil. O modelo da foto publicada no perfil BF///MS é da versão “Wildtrak”, possivelmente a topo de linha do SUV. Além desta, os registros confirmam as opções “Black Diamond” e “Big Bend”.

Ao que parece, todas elas estarão equipadas com o mesmo conjunto mecânico. Neste caso, o motor 2.0 turbo a gasolina com 245 cv de potência e um torque máximo de 38 mkgf a 3.000 giros. Já o câmbio automático terá paddle-shifts para trocas manuais de marcha.

Nos Estados Unidos, o Bronco Sport tem a opção do motor 1.5 turbo EcoBoost de três cilindros e 184 cavalos, com a mesma transmissão de oito marchas. Entretanto, este conjunto equipa as versões mais baratas com tração dianteira, o que não está previsto para o Brasil.

Tração nas quatro rodas
Tal como se espera em um jipe voltado ao offroad, o Bronco Sport terá a tração 4×4 com bloqueio eletrônico e um robusto diferencial Dana 44 para encarar trilhas pesadas. Contudo, a Ford não parece inclinada a oferecer opção de motor a diesel no seu SUV raiz.

Preço é incógnita
Produzido na fábrica de Hermosillo, no México, o Ford Bronco custa a partir de US$ 28.500 nos Estados Unidos, o que dá cerca de R$ 151 mil na conversão direta, com a cotação a R$ 5,31. Ou seja, caso a Ford traga o SUV nas configurações mais caras, o preço vai superar os R$ 200 mil.

Dessa forma, o Bronco Sport vai brigar com o Jeep Wrangler, que, em tese, é o seu arquirrival. Contudo, se a montadora posicionar o utilitário mexicano abaixo do chinês Territory, que é vendido a partir de R$ 179.900, o Bronco Sport terá condições para desafiar Jeep Compass e cia.

Esta é a categoria que mais ganhará modelos em 2021. Além da plástica do Jeep Compass, que estreia dentro em breve, a Volkswagen vai trazer o SUV Taos da Argentina. E a Toyota vai confirmar nos próximas semanas o Corolla Cross com produção na fábrica de Sorocaba, em São Paulo.

Base de Focus
Com 4,38 metros de comprimento por 1,88 m de altura e 1,89 m de largura, o Ford Bronco usa a plataforma modular do Focus europeu. A arquitetura também é utilizada pelo Escape, outro SUV que pode vir ao Brasil.

Em tamanho, o SUV 4×4 é mais curto que o Compass, porém tem o entre-eixos alguns centímetros maior, com 2,67 m. O Bronco Sport estreia neste ano no Brasil já como linha 2022. E o lançamento não vai demorar.

Jornal do Carro

Continue Reading

Trending