Connect with us

PICAPE

Volkswagen Tarok, a picape anti-Toro pode ser cancelada por conta da pandemia

Presidente Pablo Di Si comentou que a paralisação consumiu dinheiro que seria usado em futuros projetos

Published

on

Mostrada no Salão do Automóvel de São Paulo de 2018, a Volkswagen Tarok era um conceito de uma picape monobloco que ficaria abaixo da Amarok, para enfrentar a Fiat Toro. Desenvolvida no Brasil, era esperada como parte do próximo ciclo de investimentos da fabricante. Porém, ainda não há data para sua estreia. Pablo Di Si, presidente da VW América do Sul, revelou durante live com Motor1.com que a marca irá atrasar ou cancelar alguns projetos por causa da pandemia.

“Primeiro é um orgulho do time do Brasil ter uma picape mostrada no Salão de Nova York, depois mostrada no Salão de Frankfurt, lá na Alemanha”, afirmou Di Si, “é um projeto que nós tivemos a ideia, mas com a pandemia e o nosso fluxo de caixa, teremos que reavaliar todos os investimentos, 100% deles. Este carro, sim. Não estou falando de cancelar, mas alguns serão atrasados, possivelmente alguns serão cancelados, não sei se este aí. Mas teremos que tomar muito cuidado com nossa posição de caixa deste ano e dos próximos dois a três anos.”

Segundo o executivo, manter a operação da fabricante durante a pandemia, com concessionárias fechadas e fábricas paradas, fez a empresa congelar os investimentos para reavaliar no segundo semestre, aguardando o retorno da indústria. Pelas contas de Di Si, toda a indústria gastou R$ 50 bilhões dos caixas das empresas durante os três meses de paralisação, o que representa o equivalente ao plano de investimento de todas as montadoras do Brasil para quatro anos.

Como a Tarok não fazia parte do investimento atual, que será encerrado com o lançamento do SUV médio fruto do Projeto Tarek (que virá no primeiro trimestre de 2021), a picape acabou ficando sem um aporte para iniciar sua produção, mesmo que tenha sido bem aceita pelo público. E Di Si afirma que não é possível pedir dinheiro para a matriz nesta crise. “Acabou essa história, você se vira, meu amigo”, disse o executivo.

A Tarok seria uma picape rival da Fiat Toro, feita sobre a plataforma MQB para entrar em um segmento que está virando o alvo de diversas fabricantes. A Ford trabalha em um modelo que irá retomar o nome Maverick, previsto para o ano que vem e que será apresentado aqui no Brasil. Rumores também dizem que a Chevrolet também terá um representante na categoria, como parte da plataforma GEM que deu origem aos novos Onix e Tracker.

Até antes da pandemia, a Volkswagen parecia ser a marca que estava mais próxima da entrada nesta categoria. O conceito da Tarok mostrado no Salão do Automóvel de 2018 estava praticamente pronto para produção e já tinha até motores definidos, usando o 1.4 TSI flex e o 2.0 turbodiesel, ambos de 150 cv e com câmbio automático de 6 marchas. Na melhor das hipóteses, só devemos ver a picape no Brasil em 2022, caso a marca consiga reabastecer os cofres para realizar um novo ciclo de investimentos.

Fotos: divulgação

Continue Reading
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PICAPE

Ford Maverick 2021 picape rival da Toro ganha projeção da traseira

Modelo terá produção no México e fará sua estreia no Brasil

Published

on

Rumores sobre uma nova picape da Ford circulam desde meados de 2018, quando diziam que ela poderia resgatar o nome Courier, usando a plataforma modular C2 do novo Focus. As informações mudaram desde então, pois agora sabemos que ela será batizada como Maverick. Aproveitando que recebemos uma foto de sua caçamba, fizemos uma projeção de como deve ficar a traseira do modelo, que será revelado em 2021 e virá ao Brasil enfrentar a Fiat Toro.

A tampa da caçamba foi a inspiração para a projeção, usando também uma imagem de desenvolvimento da peça que vazou em maio. As últimas informações sugerem que ela terá um pouco mais comum com a van Transit Connect do que com o SUV Bronco Sport, usando até mesmo o motor 2.0 aspirado de 167 cv (que por aqui equipa o EcoSport Storm).

Outros rumores adiantam que a picape também deve usar o 1.5 Ecoboost turbo de 3 cilindros emprestado do Bronco Sport, mas que seria oferecido em um segundo momento na picape, numa versão mais cara. Ele terá mesma potência que no crossover, com 180 cv, e irá trabalhar com um câmbio automático de 8 marchas. A Maverick ficará abaixo da Ranger na linha de picapes da Ford, entrando no mesmo segmento que a Fiat Toro. Obviamente, será menor do que a picape média e com uma caçamba menor. Rumores sugerem que deve ter entre 60 cm a 70 cm menos do que a Ranger.

A projeção toma como base uma picape de quatro portas, já que inicialmente a Maverick só será oferecida nessa forma. Seu design geral lembra muito a falecida Ford Explorer Sport Trac, apesar de ter um posicionamento de mercado diferente. A Ford tem grandes planos para a Maverick, pois rumores dizem que ela espera produzir cerca de 100 mil unidades apenas no primeiro ano, um objetivo bastante ambicioso. A apresentação da picape está prevista para o ano que vem, começando a ser vendida primeiro aqui no Brasil, vindo importada do México – mesma estratégia da Nissan com o Kicks em 2016.

Projeção Jonathan Machado

Continue Reading

PICAPE

Chevrolet S10 2021 ganha cara nova e mais segurança a partir de R$ 125.390

Picape agora tem 6 airbags de série, frenagem automática e diferenças visuais mais marcantes entre as versões.

Published

on

A Chevrolet revelou nesta terça-feira (28) a linha 2021 da S10. Além das novidades visuais, a picape também ficou mais equipada, focando em itens de conveniência e segurança. Os preços partem de R$ 125.390, mas a marca não detalhou o conteúdo das versões.

Veja os preços:
S10 Advantage CD Flex 4×2 MT6: R$ 125.390
S10 LT CD Flex 4×2 AT6: R$ 141.990
S10 LTZ CD Flex 4×2 AT6: R$ 146.790
S10 LTZ CD Flex 4×4 AT6: R$ 156.690
S10 LS Chassi Diesel MT6: R$ 158.500
S10 LS CS Diesel 4×4 MT6: R$ 167.200
S10 LS CD Diesel 4×4 MT6: R$ 169.200
S10 LT CD Diesel 4×4 AT6: R$ 187.590
S10 LTZ CD Diesel 4×4 AT6: R$ 206.190
S10 High Country CD Diesel 4×4 AT6: R$ 213.290

A principal mudança na aparência está na grade frontal, que passa a tomar grande parte da dianteira do modelo, enquanto os faróis auxiliares foram realocados em uma posição mais alta. O ângulo de ataque do para-choque passou de 27 para 29°.

Pela primeira vez, a S10 recebe diferenças visuais mais marcantes para diferenciar versões.

Na topo de linha High Country, buscando um apelo mais esportivo, a grade é toda escura e traz o nome Chevrolet em uma barra central, com destaque. Com isso, a gravata dourada foi deslocada para baixo, à esquerda.

Nas demais versões, como na LTZ (acima), a grade tem barras cromadas e a gravata dourada volta ao centro. Para estas, o apelo é de mais sofisticação visual. Em todas, os faróis permanecem os mesmos, com iluminação halógena e LEDs para função diurna e posição.

A traseira da picape segue sem alterações, com exceção do sistema de amortecedor da tampa que, segundo a marca, torna a operação de manuseio mais suave. O item é de série na versão mais cara e acessório para as demais (LS, Advantage, LT e LTZ).

Reforço na segurança
A nova S10 ganhou reforços estruturais na carroceria e ficou até 20% mais resistente em caso de impacto frontal, na comparação com o modelo anterior. Mesmo assim, passou a ter 6 airbags de série em todas as versões.

Outra novidade é o sistema de frenagem automática de emergência, que freia o veículo quando identifica uma situação de risco, seja com outro veículo ou um pedestre. O recurso funciona entre 8 e 80 km/h com a ajuda de uma câmera instalada no alto do para-brisa.

Para quem costuma utilizar o sistema de reboque, a picape oferece controle eletrônico de oscilação de trailer, que identifica uma instabilidade dinâmica da carreta e freia as rodas da picape de forma seletiva.

Também é possível acionar temporariamente a câmera traseira com o veículo em movimento para checar a situação do reboque.

Tecnologia
Seguindo os demais lançamentos da marca, a S10 chega equipada com Wi-Fi nativo. Além disso, a picape tem um sistema de atualizações remotas (chamado de Over the Air) de sistemas eletrônicos. O veículo envia, por exemplo, um alerta no WhatsApp do proprietário sobre a necessidade de troca de óleo.

A nova geração da central multimídia MyLink possibilita a projeção de Android Auto e Apple CarPlay sem fio.

Motor atualizado
A linha 2021 segue equipada com os mesmos motores flex e a diesel. O primeiro é um 2.5 flex com até 206 cavalos de potência e 27,3 kgfm de torque quando abastecido com etanol, que pode ser acompanhado de câmbio manual ou automático de 6 marchas, e tração 4×2 ou 4×4.

O segundo é um 2.8 turbodiesel de 200 cv e 51 kgfm (que cai para 44,9 kgfm com câmbio manual), acompanhado sempre de tração 4×4, mas com opções de câmbio manual ou automático de 6 marchas.

Para a motorização a diesel, a Chevrolet promoveu a troca da turbina pela mesma utilizada na Colorado norte-americana, prometendo uma otimização que deixa as acelerações mais progressivas e uma direção mais “esperta”.

G1

Continue Reading

PICAPE

Ford Bronco terá versão picape para enfrentar Jeep Gladiator

Novidade estava prevista para 2024, mas deve ser antecipada e chegar ao mercado em 2022

Published

on

Relançado depois de mais de 20 anos longe das concessionárias, o novo Ford Bronco está definitivamente levando a sério a missão de concorrer de igual para igual com o Jeep Wrangler. Prova disso é que, além das variantes tradicionais de 2 e 4 portas, o recém-chegado modelo também terá uma versão picape para disputar clientes com a Gladiator, variante camionete do rival da FCA.

Detalhes ainda são limitados, mas a revista Automobile Magazine adianta que o interesse em torno do projeto ganhou tanta força nos últimos meses que a Ford ordenou prioridade extra no desenvolvimento. Não por acaso, o lançamento que até então estava programado para 2024 foi antecipado agora para 2022.

Assim como acontece com a Gladiator, a picape do Bronco herdará do irmão SUV toda a estrutura mecânica e soluções do design. Dessa forma, será mantida a pegada retrô e os acertos estéticos exteriores e internos já conhecidos. Haverá sempre cabine dupla, quatro portas e caçamba com espaço suficiente para a proposta de uma picape de lazer com apelo voltado para uso off-road.

A ideia será posicioná-la como um modelo de nicho, com proposta life-style e diversas opções de personalização. Assim como no Bronco, também será possível remover portas e teto para ampliar a sensação de liberdade durante aventuras em trilhas e demais trechos off-road. Já o cliente que desejar uma picape voltada para o trabalho pesado encontrará outras opções no portfólio da Ford, desde a Ranger até as brutas da Série F.

A mecânica compartilhada com o Bronco incluirá motores 2.3 EcoBoost de 274 cv e 42,9 kgfm de torque, e 2.7 V6 EcoBoost com 314 cv e 55,3 kgfm. O câmbio poderá ser manual de 7 marchas (6+1, apenas no 2.3) ou automático de 10 marchas (2.3 e 2.7), sempre com sistema de tração 4×4. As duas caixas de transferência, como no SUV, terão operação eletrônica e os diferenciais dianteiro e traseiro (assinados pela Dana) serão bloqueáveis eletronicamente.

A estratégia da Ford será focar daqui para frente no lançamento de SUVs e picapes, acompanhando o gosto do mercado e o crescimento desses segmentos. Tanto é que, além desse modelo derivado do Bronco original, a marca desenvolve uma picape com carroceria monobloco baseada em outro Bronco, o Sport, considerado o mais light da família. Terá sobrenome Maverick e chegará ao mercado em 2021.

Projeção: Aksyonov Nikita
Fonte: Automobilie Magazine

Continue Reading

Trending

Copyright © 2020 MAISMOTORS NEWS